Marina Silva se destaca na sabatina de empresários em Brasília

A pré-candidata da Rede, Marina Silva, respondeu a perguntas de empresários da construção civil no evento realizado em Brasília

A presidenciável Marina Silva destacou-se entre os cinco candidatos à Presidência da República que apresentaram nesta segunda-feira (6) suas propostas de governo em um evento organizado pela Coalizão pela Construção, grupo que reúne 26 entidades do setor da construção civil. Acompanhe as principais respostas de Marina:

Marina Silva (Rede)

  • Democracia Marina Silva afirmou que a democracia estaria em risco em 2018. Na avaliação dela, a campanha eleitoral de 2014 alertou para a perda de duas conquistas: a estabilidade econômica e a inclusão social. “Já vimos esse filme antes e sabemos no que pode dar. […] Faço um alerta: a sociedade civil, nela incluído o setor produtivo, não deve cair em saídas autoritárias, contrárias à nossa democracia. No ano em que a Constituição completa 30 anos, seria uma tragédia”, declarou a candidata da Rede.
  • Economia Na área econômica, Marina defendeu a limitação do crescimento dos gastos públicos à metade do PIB do ano anterior. Atualmente, a Constituição prevê que a base para aumento dos gastos federais é a inflação dos últimos 12 meses, até junho. Ela também disse ser “incontornável” a necessidade de uma reforma da Previdência Social, assim como uma reforma tributária, com a unificação de alguns tributos, para melhorar o ambiente de negócios.
  • Aborto A presidenciável da Rede disse que, se eleita, irá propor a realização de um plebiscito para consultar a população sobre a legalização do aborto e tratou ainda do tema da corrupção. Marina disse que, em seu eventual governo, a Operação Lava Jato “não será sabotada”. “Além de criminosa e imoral, a corrupção introduz uma ineficiência enorme no setor de infraestrutura”, ponderou Marina.
  • Licenciamento ambiental Questionada sobre eventuais mudanças no licenciamento ambiental, entre as quais medidas para dar maior agilidade nas desapropriações – uma das demandas do setor da construção – ela destacou que seria possível uma atualização na legislação para “ganhar agilidade”, desde que não culminasse em perda de qualidade.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s