A superação pela arte de servir

Idealizados pela bailarina Cecília Brennand, dois projetos sociais ajudam a transformar a vida de milhares de jovens e também de mães que vivem em comunidades pobres do Recife

A recifense Cecília Brennand descobriu a dança aos 16 anos, e em pouco tempo se tornou professora de ballet clássico e dança moderna. Aos 58 anos, é a madrinha de mais dos mais de 6 mil alunos que passaram pelo Aria Social, projeto que, desde 2004, educa e profissionaliza crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social através da dança e da música em Jaboatão dos Guararapes, região metropolitana do Recife. Casada com o empresário Ricardo Brennand Filho, um dos maiores colecionadores do Brasil e criador do Instituto Ricardo Brennand (hoje uma das principais atrações turísticas da capital pernambucana), Cecília poderia ter uma vida confortável e sem atribulações. Escolheu o caminho da solidariedade para dar uma nova esperança a jovens e mães que vivem em comunidades carentes.

A iniciativa já transformou a vida de famílias inteira. É o caso de Adriano de Sena, que duas vezes por semana deixava seu açougue para levar os quatro filhos na garupa da bicicleta até o Aria Social. “Eu sabia que ali meus filhos teriam um futuro. Eles eram muito tímidos, hoje estão mais soltos.” As pedaladas de Adriano foram recompensadas em 2016, quando seu filho, Adriano de Sena Junior, então com 8 anos, ficou entre os 15 finalistas na seleção para o Bolshoi Ballet no Brasil. Outro caso de sucesso é Rafael Silva. “Aprendi inglês com a professora de música e me tornei coordenador do curso de informática do Aria”, diz ele. Apaixonado pelo tema, ele cursou a faculdade de Redes de Computadores e hoje é Analista de Operações no Instituto Coca-Cola Brasil. “Trabalho com gestão de projetos sociais voltados a empregabilidade e acesso a água e participo de treinamentos da ONU.”

A iniciativa já transformou a vida de famílias inteira. É o caso de Adriano de Sena, que duas vezes por semana deixava seu açougue para levar os quatro filhos na garupa da bicicleta até o Aria Social. “Eu sabia que ali meus filhos teriam um futuro. Eles eram muito tímidos, hoje estão mais soltos.” As pedaladas de Adriano foram recompensadas em 2016, quando seu filho, Adriano de Sena Junior, então com 8 anos, ficou entre os 15 finalistas na seleção para o Bolshoi Ballet no Brasil. Outro caso de sucesso é Rafael Silva. “Aprendi inglês com a professora de música e me tornei coordenador do curso de informática do Aria”, diz ele. Apaixonado pelo tema, ele cursou a faculdade de Redes de Computadores e hoje é Analista de Operações no Instituto Coca-Cola Brasil. “Trabalho com gestão de projetos sociais voltados a empregabilidade e acesso a água e participo de treinamentos da ONU.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s