Cuba admite calotes em 2019

A ditadura de Cuba admitiu nesta sexta-feira (21) que não terá capacidade de cumprir todos os seus compromissos de dívida em 2019.

Cuba colocou a culpa da sua inadimplência aos problemas econômicos internos, mas afirmou que serão estabelecidas prioridades de pagamento.

Em sessão da Assembleia Nacional na qual são discutidos planos para o ano que vem, o ministro da Economia, Alejandro Gil, declarou:

No ano de 2019, vamos usar menos créditos que a dívida que estamos planejando pagar, que não é toda a que temos. Há um nível de dívida que não vamos poder pagar no ano que vem que afeta o desempenho da economia.

E acrescentou:

O nível de endividamento com o qual a economia está operando, a economia é alto e nos gera tensões no dia a dia. estivemos buscando soluções pontuais, mas isso afeta o desempenho harmônico da economia”, comentou.

Gil garantiu que o ditadura estabelecerá “um nível de prioridade” para seus compromissos e explicou que o montante da dívida que Cuba pagará vai ser levemente superior ao montante de novos créditos que vão tomar, “o que significa que não vamos ampliar o nível de endividamento”.

Recentemente, parte da dívida de Cuba com o Brasil entrou em moratória, enquanto outra parcela está atrasada, em financiamentos relacionados à construção do porto de Mariel e à compra de alimentos, conforme noticiou a RENOVA.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s