Renan tem a incumbência de algoz da lava jato e Moro

Texto escrito pelo colaborador Pedro Augusto.

O MDB, antigo PMDB, possui uma longa trajetória na história da política brasileira. Esteve presente na oposição aos governos militares e foi protagonista no processo de redemocratização do país. Sua atuação na política continuou importante nas décadas de 1990, 2000 e 2010 com as lideranças do Senado e Câmara dos Deputados.

Atualmente, o partido, que já liderou as duas casas do poder legislativo brasileiro por diversas vezes, deixa um triste legado para a sua história: a corrupção. Nomes importantes da legenda como Eduardo Cunha, Sérgio Cabral e Pezão estão presos. Outros como Michel Temer, Eunício de Oliveira e Renan Calheiros são alvos de várias acusações de corrupção. Dos três, os dois primeiros não se reelegeram. O terceiro além de continuar no Senado, tentará, mais uma vez, a presidência da Casa na eleição do dia 1 de fevereiro.

Para o coordenador da força tarefa da Operação Lava Jato no Ministério Público de Curitiba, Deltan Dellagnol, a volta de Renan Calheiros à presidência do Senado não seria bom para o país.

Em seu Twitter, o procurador afirmou:

“Decisão d Toffoli favorece Renan, o q dificulta a aprovação de leis contra a corrupção, pois a presidência do Senado decide pauta (o que e quando será votado) Diferentemente d juízes em tribunais, senadores são eleitos e têm dever de prestar contas. Sociedade tem direito de saber”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s